quinta-feira, 28 de julho de 2011

É...

Irmã, é importante vc não confundir as coisas. Vc era mulher dele e fez o impossível para ficar e cuidar dele. Eu estive com vc o tempo todo, até te alertando, muitas vezes, do risco que vc corria. Eu sou sua irmã, e gosto muito dele. Quando vcs estavam bem ele sempre foi muito cuidadoso comigo, quantas vezes choramos (os 3) juntos? Expus para ele o que há de mais dolorido em mim. Ele me defendia até do irmão. O que sinto é que ficarei mais tranquila visitando-o. Pra mim, é uma forma de me despedir e agradecer. Não sei se ela vai me reconhecer, não estou me importando...mas quero passar pra dar um oi.
Toda conversa q tive com o Marcus foi por mensagem. Perguntei como ele estava, se estava recebendo visitas e se tinha algo q eu pudesse fazer para ajudá-lo. ele respondeu que ele estava bem, sem reação adversa e que os amigos tem ido visita-lo e falou pra eu ir vê-lo. Eu perguntei se podia, se o cognitivo dele estava preservado e qual era o endereço. Ele respondeu q claro q eu podia, que o cognitivo estava muito pouco preservado e me deu o endereço e pediu para avisá-lo antes. Perguntei qual o melhor dia e horário e ele falou sábado a tarde.Falei que não estarei aqui nesse sábado mas no proximo irei. ele respondeu: ok.
Falei com o anderson e ele falou que vai comigo. O máximo que pode acontecer é eles não estarem lá, ou a véia criar caso. Mas em relação a eles, depois do que vivi com vc, nada será grande surpresa. A surpresa será, se eu realmente conseguir ver o Paulo.
Essa é uma demanda minha, irmã. Não se sinta na obrigação e nem ache que vc deveria fazer o mesmo. Vc sofreu muito e vc tem todo o direito de saber dele apenas por mensagem. ok? Fique na paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário